O fim da marca Insteon e o impacto no mercado

Se você ainda não segue, um blog muito bom sobre Smart Home é o da Stacey on IoT. Hoje ela publicou uma notícia que eu estou acompanhando, que é o fim da marca Insteon/SmartLabs.

A Insteon criou produtos incríveis de controle de iluminação, garagem e HVAC baseado em uma tecnologia proprietária de comunicação por RF e rede elétrica.

Na sexta-feira, 15 de abril, os clientes da marca começaram a relatar que seu aplicativo Insteon estava offline e seus hubs não conectavam mais com a nuvem.

O fato é que a Insteon desligou seus servidores, perdeu sua equipe e na quinta-feira enviou um e-mail aos clientes explicando como planeja vender os ativos para ajudar a pagar os credores.

Insteon
Insteon

Bem chato não?

Após ler a notícia, fiz uma reflexão sobre tudo isso.

Como os usuários estariam protegidos se uma marca ou produto saísse do mercado? Por que uma marca tradicional como a Insteon fechou as portas?

Minha conclusão é que caminhamos para uma padronização de tecnologias.

Marcas que usam sistemas proprietários, tendem a ter dificuldades devido ao alto custo de R&D e principalmente pela dificuldade de competir com os gigantes do mercado.

Vou explicara melhor.

Imagine que você comprou um relê inteligente que usa o padrão Matter, da marca X. Este relê pode ser conectado ao Hub da Amazon, Apple, Samsung ou Google, você decide qual ecossistema prefere usar.

Mas, por algum motivo, esta marca X fecha as portas.

Qual seria o impacto disso para você?

Praticamente nenhum, porque você usa um ecossistema aberto e pode continuar usando o relê, e comprar outros produtos de outras marcas compatíveis.

A padronização na automação residencial é a chave para o amadurecimento do mercado, saindo de soluções pontuais para ecossistemas inteligentes.

Quem não seguir a padronização terá que investir muito em desenvolvimento de software e hardware e competirá com os gigantes.

Não acredito que o caso da Insteon seja o único.

Empresas que não se adaptarem provavelmente terão dificuldades, e por outro lado, as empresas que abraçarem a padronização, tendem a consolidar sua participação no mercado, desde que ofereçam produtos de qualidade atrelados à serviços de inteligência para o usuário.

Nos próximos dias 3, 4, 5 e 7 de maio farei o Workshop Casa Inteligente 2.0, um evento aberto para você aprender a preparar e automatizar uma casa do início ao fim.

Participe!

Um abraço,
Vinicius